Agilização de processos de faturação eletrónica no setor da saúde

Subscrever
Partilhar

A Saphety realiza, em parceria com a IDC, um ciclo de webinars dedicados à faturação eletrónica em diferentes indústrias e conta com a presença de diferentes operadores de referência nos vários setores de atividade, como o healthcare.

 

Na primeira edição, dedicada ao setor da saúde e healthcare, foram entrevistados operadores de referência do setor, numa área que assistiu, nos últimos 5 anos, a diversas implementações, faturação eletrónica em mais de 100 hospitais e 30 centros hospitalares, envolvendo mais de 50 fornecedores, que transformou, em pouco tempo, a forma como as entidades do setor se relacionavam entre si.

 

Rui Pedro Santos, representante da B. Braun Medical, um dos principais fornecedores e fabricantes mundiais de dispositivos médicos, produtos farmacêuticos e serviços, foi entrevistado. A B. Braun oferece soluções em 16 áreas terapêuticas e conta com 5 mil produtos diferentes, serviços complementares e de consultoria.

 

Sendo o setor da saúde conhecido por ser complexo, com muito papel, códigos, e, naturalmente, custos, foi pedido ao entrevistado para partilhar a sua experiência sobre esta problemática e como a faturação eletrónica e os sistemas EDI (Electronic Data Interchange) podem fazer a diferença, o qual afirmou que a digitalização e automatização trazem muitas vantagens, nomeadamente no volume de documentos em papel, que chegam a 300 faturas em apenas meio-dia de atividade.

 

Rui Pedro Santos esclareceu que o grupo implementa o processo de faturação eletrónica há cerca de dois anos, sendo o alinhamento de catálogos e a estandardização de todo o processo os principais desafios enfrentados, pois são processos bastante complexos. O setor da saúde apresenta muitas regulamentações, normas obrigatórias, entre outras especificações que o tornam especial e diferente de outros.

 

A Saphety tem sido um facilitador fundamental, na opinião deste, uma vez que tem partilhado conhecimento muito pertinente sobre as exigências do setor da saúde e da forma como a B. Braun se deve movimentar no mercado.

 

Quanto ao futuro, o cenário ideal será o de passar para um processo de total desmaterialização, com o essencial objetivo de agilizar toda a comunicação, diminuir erros humanos, de custos e de pegada ambiental.

 

O contexto atual da pandemia trouxe imensos desafios, tendo sido um ano de adaptações constantes, com mais processos digitais e teletrabalho, no entanto a B. Braun trabalhou de forma que os clientes não sentissem a diferença. Embora o contexto da pandemia não tenha sido responsável pelo início da transformação digital, foi, sem dúvida, um acelerador.

 

Em conclusão, Rui Pedro Santos aconselha que se escolha bem um parceiro que conheça exatamente as exigências do mercado.

Outros posts

Subscrever

Flexcash – o futuro do funcionamento das empresas?

Na continuação do seu ciclo de webinares, a Saphety diversifica os temas em debate e trouxe-nos, desta vez, o Diretor de Marketing de Empresas da Caixa Geral de Depósitos, Paulo Nina, para falar do financiamento de faturas. A Caixa Geral de Depósitos, em parceria com a Saphety, desenvolveu uma plataforma inovadora, totalmente digital, através da […]

Otimização de processos de gestão de tesouraria com o confirming digital

Patrícia Valente começou por explicar que a adesão da BA Glass ao confirming ocorreu num contexto de forte aposta, por parte da empresa, nos processos digitais para automatizar o mais possível as tarefas, de forma a simplificar o dia a dia e a tornar o trabalho mais eficiente.

As vantagens do confirming digital através da plataforma Flexcash

Para as empresas do grupo Trivalor, esta plataforma é igualmente fácil de gerir, no ponto de vista do software, não havendo necessidade de formação muito demorada para que os técnicos entendam o seu modo de funcionamento.

Mais posts
Loading