Caixa aposta na Faturação Eletrónica

Subscrever
Partilhar
Transcrito na íntegra, do artigo original, “Caixa aposta na Faturação Eletrónica”, publicado pela Caixa Geral de Depósitos (cgd.pt), a 30 de janeiro de 2020.
CGD exige fatura eletrónica a fornecedores
Cumprimento dos prazos de pagamento, maior produtividade, rigor e segurança no tratamento de faturas.
À semelhança do que está a ser exigido pelo Estado no âmbito da Contratação Pública, a CGD elegeu como formato de faturação a receber a tecnologia E.D.I. (Electronic Data Interchange), que se traduz na receção das faturas com origem nos seus fornecedores e parceiros sob a forma de dados (estruturados e previamente definidos) e na disponibilização automática desses dados (documentos) para tratamento. O projeto Faturação Eletrónica da Caixa persegue assim como principais objetivos o aumento da eficiência associada ao tratamento de faturas e o cumprimento dos prazos de pagamento acordados com os fornecedores e parceiros. Estes objetivos têm vindo a ser potenciados por uma campanha de comunicação interna e externa junto dos stakeholders, a quem o Banco sensibiliza para os ganhos desta medida: – Redução de custos com impressão, envio e arquivo de documentos – Aumento da produtividade e eficiência da organização (com o abandono de tarefas manuais de processamento e expedição) – Maior rigor e normalização de procedimentos (eliminação de potenciais erros e extravios) – Maior segurança e confidencialidade da informação.
Este projeto integra ainda a estratégia de transformação e digitalização da Caixa e surge no âmbito da adoção de um conjunto de práticas ambientalmente mais responsáveis, com reforço significativo de valores de marca e imagem. Destaque especial para os de inovação, modernidade e competitividade que a faturação eletrónica determina.
Para a receção das faturas em formato eletrónico, o Banco selecionou a Saphety (Rede de Faturação Eletrónica/ Operador de E.D.I.), sendo a plataforma SaphetyDoc o canal de entrada das faturas na Caixa.
Cada fornecedor ou parceiro poderá, no entanto, escolher a rede ou operador de E.D.I. a utilizar para o envio das faturas à Caixa (https://eespa.eu/membership-list).
Os preços praticados por estes operadores variam, naturalmente, em função das condições e estratégia comercial de cada um, mas também do nível e necessidade de integração associado a cada Fornecedor ou Parceiro, existindo soluções e preços ajustados à dimensão de cada Empresa e à quantidade de documentos emitidos.
Para os fornecedores e parceiros que não aderirem à Faturação Eletrónica até 15 de fevereiro de 2020, a Caixa apresenta, a partir dessa data, como único canal alternativo o envio – a título provisório e excecional – de todas as faturas por correio para o seguinte endereço:
Caixa Geral de Depósitos, S.A.
Apartado 10139
Loja CTT Arroios
1001-001 Lisboa
Para mais informações sobre o Projeto de Faturas Eletrónicas, utilize os seguintes contactos:
Caixa Geral de Depósitos
Saphety (Parceiro da CGD para a Faturação Eletrónica)
Tel: 21 017 40 65 | sales@saphety.com

Artigo original publicado pela Caixa Geral de Depósitos,  a 30/01/2020.

Outros posts

Subscrever

Fatura eletrónica: metade dos hospitais em Portugal encontra-se em incumprimento desde abril

A fatura eletrónica com a administração pública é obrigatória, desde 18 de abril de 2019, para os serviços da administração direta do Estado e os institutos públicos.

Ainda envia as suas faturas em papel?

A Saphety tem verificado a necessidade crescente destas empresas passarem a receber as faturas dos seus fornecedores por via eletrónica de forma a poderem efetuar o seu processamento e respetivo pagamento remotamente.

Decreto-Lei n.º 14-A/2020

Sumário: Altera o prazo de implementação da faturação eletrónica nos contratos públicos.

Mais posts
Loading