Faturação Eletrónica

Outras Soluções

Faturação eletrónica na CGD

Subscrever
Partilhar
Transcrito na íntegra, do artigo original, “Caixa poupa com a faturação eletrónica”, publicado pela Caixa Geral de Depósitos (cgd.pt), a 12 de setembro de 2019.
Caixa poupa com a faturação eletrónica
Implementado desde há meses, o projeto de faturação eletrónica da Caixa visa a adesão da totalidade dos seus parceiros e fornecedores à tecnologia Electronic Data Interchange (EDI). Por esta via, todas as faturas devem passar a chegar à Caixa por transmissão de dados e imediatamente disponibilizadas para tratamento. Em linha com uma das principais medidas que constam do Simplex+2018, a Caixa Geral de Depósitos mantém assim uma forte aposta na modernização do seu sistema de faturação, quer junto de fornecedores quer junto de parceiros a quem contrata serviços.
Estes objetivos têm vindo a ser potenciados por uma campanha de comunicação interna e externa junto dos stakeholders, a quem o Banco sensibiliza para os ganhos desta medida de desmaterialização de faturas. Falamos, concretamente, no que diz respeito – à redução de custos com impressão; – envio e arquivo de documentos; – aumento da produtividade e eficiência da organização (com o abandono de tarefas manuais de processamento e expedição); – ganhos no rigor e normalização de procedimentos (eliminação de potenciais erros e extravios); – cumprimento dos prazos de pagamento e ganhos na segurança e confidencialidade da informação.
A medida reforça modernidade e respeito ambiental.Esta medida integra a estratégia de transformação e digitalização da Caixa e surge no âmbito da adoção de um conjunto de práticas ambientalmente mais responsáveis, com reforço significativo de valores de marca e imagem. Destaque especial para os de inovação; modernidade e competitividade.
À semelhança do que está a ser implementado na administração pública, o formato de faturação eletrónica adotado pela CGD assenta na tecnologia EDI que se traduz no envio da fatura num formato de dados estruturado e previamente definido, com receção e integração automática no sistema de faturação da CGD. Para a receção das faturas neste formato, o Banco selecionou a Saphety (Rede de Faturação Eletrónica/ Operador de E.D.I.), sendo que a plataforma SaphetyDoc se constitui como o canal de entrada das faturas na Caixa. Tanto fornecedores como parceiros podem optar pela mesma plataforma tecnológica, ou optar por outra Rede de Faturação Eletrónica/ operador de EDI (para mais informações sobre as redes possíveis contactar a Caixa).

Artigo original publicado pela Caixa Geral de Depósitos,  a 12/09/2019. Link original: https://www.cgd.pt/institucional/noticias/pages/faturacao-eletronica-na-cgd.aspx

Outros posts

Subscrever

Faturação no Chile – operações de câmbio

Faturação no Chile – operações de câmbio   A Faturação no Chile foi alterada a 1 de dezembro de 2022,  aquando da entrada em vigor da resolução 66 dos Serviços Internos de Receita do Chile.   Este novo regulamento diz respeito às organizações com operações em moeda estrangeira. Bancos, corretoras de valores, casas de câmbio […]

Sérvia: Alterações às Leis de Faturação Eletrónica, Fiscalização e IVA

Sérvia: Alterações às Leis de Faturação Eletrónica, Fiscalização e IVA   A Sérvia está na reta final para implementar a fatura eletrónica obrigatória, que entrou em vigor a 1 de janeiro de 2023. Algumas alterações ainda estão a ser pensadas de modo a permitir a introdução total da faturação eletrónica obrigatória para B2B. Em 12 […]

Polónia: Faturação Eletrónica através do KSeF

Polónia: Faturação Eletrónica através do KSeF   Polónia publica projeto lei sobre faturação eletrónica obrigatória através do KSeF   A 1 de dezembro de 2022, o Ministério das Finanças da Polónia publicou o projeto lei que altera a Lei do IVA relativamente à introdução da fatura eletrónica obrigatória no Sistema Nacional de Faturação Eletrónica (KSeF). […]

Mais posts
Loading

    Links Rápidos