Faturação Eletrónica

Outras Soluções

Portaria n.º 289/2019, de 5 de setembro

Subscrever Newsletter
Partilhar

Regulamenta os aspetos complementares da fatura eletrónica nos contratos públicos – Princípio da interoperabilidade

 

Artigo 1.º Objeto e responsabilidade

 

1 – A presente portaria procede à regulamentação dos aspetos complementares da fatura eletrónica, nos termos e para os efeitos do disposto no n.º 5 do artigo 299.º-B do CCP, e sistematiza o modelo de governação cometida à ESPAP, I. P., pelo Decreto-Lei n.º 123/2018, de 28 de dezembro.

2 – A presente portaria prossegue o objetivo de estruturar as condições que permitam a implementação da fatura eletrónica no cumprimento das normas europeias EN 16931 de 2017, de 28 de junho de 2017 do Comité Europeu de Normalização, e que, nos termos da Diretiva 2014/55/UE, deva vigorar, entre contraentes públicos e cocontratantes, nestas também incluídas as entidades que nos termos do Código dos Contratos Públicos sejam qualificados como entidades adjudicantes.

 

Para mais informações, por favor consulte os seguintes links:

Diário da República: https://dre.pt/home/-/dre/124457187/details/maximized

eSPap: https://www.espap.gov.pt/noticias/Paginas/noticia.aspx?nid=1640

 

Notícias relacionadas:

TVI24: https://tvi24.iol.pt/economia/fatura-eletronica/publicado-diploma-que-regula-o-modelo-das-faturas-eletronicas-nos-contratos-publicos

Observações e Previsões: O Futuro da Fiscalidade e da Conformidade

Estamos no meio de uma mudança na forma como os negócios globais são conduzidos e as receitas fiscais são reconhecidas e cobradas pelos governos. A mensagem para as empresas de todo o mundo é que os governos globais já não confiarão na forma antiquada como arquivam as declarações e lhes fornecem dados do período – que está a ser substituída por governos que exigem dados em tempo real capturados pelos sistemas e directrizes aprovados pelos próprios.

Faturação Eletrónica na Grécia

A fatura eletrónica é obrigatória para fornecimentos B2G e opcional para fornecimentos B2B e B2C. Os requisitos de faturação eletrónica nas transações B2G, B2B e B2C variam, tornando uma tarefa exigente manter-se em conformidade com os regulamentos de faturação eletrónica do país. Esta página detalha o status quo atual e será atualizada à medida que as alterações forem aplicadas – certifique-se de adicioná-la aos favoritos e revisitá-la para permanecer em conformidade.

Roménia: Projeto de legislação propõe nova obrigatoriedade da faturação eletrónica B2C

Roménia: Projeto de legislação propõe nova obrigatoriedade da faturação eletrónica B2C   A 18 de junho, o Ministério das Finanças romeno publicou um projeto de despacho destinado a expandir o âmbito da obrigatoriedade da faturação eletrónica no país para incluir transações B2C.   No contexto da faturação eletrónica, as transações B2C são definidas como ocorrendo […]

Mais posts

Links Rápidos