Saphety: A solução de facturação electrónica

Subscrever
Partilhar

A Saphety disponibiliza soluções que respondem a empresas de todas as dimensões, necessidades de facturação e nível de desmaterialização em que se encontram.

Embora alguns dos prazos tenham transitado para 2021, a procura de soluções que respondam à nova legislação sobre a Obrigatoriedade de Facturação Electrónica à Administração Pública tem aumentado, motivada pela pandemia e a necessidade de processos mais digitais.

«Os nossos clientes que até ao próximo 31 de Dezembro têm de assegurar esta obrigatoriedade estão preparados ou em vias de concluir as adaptações necessárias. Sobretudo consideramos que esta é uma oportunidade única para que as empresas, motivadas por um novo enquadramento legal, actualizem e modernizem os seus processos de facturação, não apenas para responderem aos requisitos legais do sector público, mas aproveitando também para desmaterializarem por completo a facturação a todos os seus clientes, usufruindo da rede instalada de empresas e soluções que a Saphety oferece», explica Rui Fontoura, CEO da Saphety, em entrevista à Executive Digest.

A Saphety disponibiliza soluções que respondem a empresas de todas as dimensões, necessidades de facturação e nível de desmaterialização em que se encontram. Desde mecanismos de envio online de facturas através da subscrição de planos mensais sem fidelização, aos modelos integrados e automatizados directamente a partir dos sistemas de facturação, com implementações asseguradas pela equipa da Saphety e por uma rede de parceiros com quem têm reforçado protocolos no âmbito da facturação ao sector público. As áreas financeiras e comerciais das empresas são talvez as principais beneficiadas pela transformação digital proporcionada pela facturação electrónica.

A automatização dos processos de facturação, contabilização, aprovação e pagamento, permitem a redução de custos e ineficiências que podem representar poupanças muito significativas para as empresas. «A redução dos prazos de pagamento é um claro benefício que contribui para o equilíbrio da liquidez financeira e reforço da confiança, essencial para relações económicas mais sustentadas, sobretudo no contexto de mercado global em que operamos, onde a capacidade para a transformação digital é também um factor competitivo determinante», acrescenta Rui Fontoura. Assim, é necessário que as empresas definam a sua estratégia e investimentos de forma clara nesta matéria, como algo fundamental para assegurar o seu futuro e crescimento sustentados no mercado global, em paralelo com o papel crucial desempenhado pelo Estado através de programas e incentivos financeiros com o foco no digital.

A evolução da factura electrónica ou da contratação pública ao longo da última década são claros exemplos disso, enquanto parte integrante da renovação e adopção tecnológica do tecido empresarial português. «Se pensarmos na transição da carta para o email, ninguém terá dúvidas dos benefícios da facturação electrónica face ao papel. A rapidez e fiabilidade na comunicação, a garantia de entrega no destino ou o impacto ambiental positivo são disso exemplo. Mas também os enormes ganhos de transparência e optimização na relação entre empresas, seja pela visibilidade em tempo real sobre o estado e evolução dos documentos, seja pelos automatismos na contabilização, aprovação e pagamentos que, ao serem mais ágeis, contribuem para a liquidez dos credores», sublinha. Ao longo da sua existência, a Saphety tem consolidado a liderança em soluções de desmaterialização de documentos de negócio.

Com uma actividade inicial muito ligada ao sector do retalho e Supply Chain, o âmbito de actuação foi alargado de forma progressiva a todos os sectores de actividade. São exemplo disso a banca e seguros, as utilities, a saúde ou o sector público. Hoje contam com uma rede única de milhares de empresas que utilizam a Saphety para conduzir os seus processos de negócio, e cujo volume associado aos documentos transaccionados representa mais de 15% do PIB Nacional. O próximo será certamente um ano muito exigente, ainda dominado pelos muitos desafios colocados pela pandemia acreditando que a procura crescente de soluções de desmaterialização de documentos e a própria obrigatoriedade legal de facturação ao sector público contribuirão para que a Saphety continue a crescer.

«Neste contexto, continuaremos atentos às necessidades das empresas, enquanto parceiros e facilitadores na adopção da facturação electrónica, num ano que possivelmente será marcado pela massificação desta solução», conclui Rui Fontoura.

 

Artigo publicado na Executive Digest (digital impressa), a 24/11/2020.

Outros posts

Subscrever

Faturas com QR Code obrigatório a partir de 2022

A partir de 1 de janeiro de 2022 o QR Code deve constar em todas as faturas e documentos fiscais relevantes, de acordo com o Decreto-Lei n.º 28/2019, de 15/02 e a Portaria n.º 195/2020, de 13/08.   O código QR – ou Quick Response Code – consiste num código de barras bidimensional que deve […]

O papel das parcerias na massificação da faturação eletrónica

Com a obrigatoriedade de emissão de faturas eletrónicas para a Administração Pública, as empresas depararam-se com a necessidade de ter os seus ERP adaptados para o fazerem.   Faturação eletrónica: obrigatoriedade ou necessidade?   Esta necessidade tornou-se urgente na rápida resposta do seu prestador de serviços de TI, em particular na preparação do software de […]

Flexcash – o futuro do funcionamento das empresas?

Na continuação do seu ciclo de webinares, a Saphety diversifica os temas em debate e trouxe-nos, desta vez, o Diretor de Marketing de Empresas da Caixa Geral de Depósitos, Paulo Nina, para falar do financiamento de faturas. A Caixa Geral de Depósitos, em parceria com a Saphety, desenvolveu uma plataforma inovadora, totalmente digital, através da […]

Mais posts
Loading