Faturação Eletrónica

Outras Soluções

Faturação Eletrónica: Ásia-Pacífico

Subscrever Newsletter
Partilhar

Um vislumbre da paisagem da facturação electrónica na Ásia-Pacífico

 

De acordo com o último relatório de mercado global, a Billentis, a região da Ásia-Pacífico deverá atingir taxas de crescimento de volume anuais da e-fatura mais elevadas em comparação com a América Latina e a Europa até 2025. Isto acontece principalmente porque o mercado asiático é novo na jornada da digitalização fiscal (excepto a Coreia do Sul) e está a acelerar a adoção da faturação eletrónica como uma medida eficaz para o controlo do IVA.
 

Embora os tipos de estratégias de faturação eletrónica implementadas na região APAC variem muito, também podemos identificar algumas características comuns.
 

Existem jurisdições com um forte legado de direito comum, tais como Singapura e Japão, que normalmente concentram as medidas regulatórias na retenção de registos. Nos últimos anos, muitos destes países começaram a preparar-se para regular a emissão da faturação eletrónica (nomeadamente pela adesão ao sistema PEPPOL), por exemplo, Singapura. Foram adotadas normas nacionais associadas para uma ampla gama de fluxos de faturação eletrónica para cenários B2B e B2G.
 

Inversamente, os modelos de autorização da América Latina e os controlos contínuos de transações (CTC) influenciam alguns países. Exemplos de jurisdições com os CTC são a China e Taiwan.
 

Mais países pretendem introduzir uma abordagem faseada à faturação eletrónica obrigatória ou aos CTC nos próximos anos. Exemplos notáveis são a Arábia Saudita, que em janeiro de 2023 introduziu um regime de apuramento em várias fases para diferentes grupos de contribuintes, e o Vietname, que fará o mesmo nos próximos anos.
Eis um destaque para os recentes desenvolvimentos da faturação eletrónica na Ásia-Pacífico.
 

Faturação Eletrónica na Malásia

 

Em outubro de 2022, o Ministério das Finanças da Malásia anunciou no seu orçamento de estado planos para lançar um programa piloto de faturação eletrónica em 2023, começando com contribuintes selecionados. A declaração orçamental vê as faturas eletrónicas como a principal estratégia para melhorar a receita fiscal e as infraestruturas de serviços digitais do país.
 

O Conselho de Receitas Interiores da Malásia (HASIL) e a Malaysian Digital Economy Corporation (MDEC) partilharam recentemente detalhes sobre o projeto em sessões de compromisso.
 

A Malásia parece estar a seguir um modelo de apuramento CTC, tal como o implementado em Itália, onde as faturas eletrónicas devem ser enviadas à autoridade tributária em tempo real para obter a validação antes de serem entregues aos compradores. O âmbito do sistema provavelmente abrangerá todas as transações domésticas (B2G, B2B e B2C) e transfronteiras.
Na sequência das sessões de compromisso, a HASIL publicou um comunicado de imprensa em 22 de maio de 2023 e anunciou o calendário de implementação do próximo mandato de faturação eletrónica. De acordo com o anúncio, o mandato será divulgado de forma faseada a partir de junho de 2024 para os contribuintes selecionados e terminará em janeiro de 2027 para todos os negócios.
 

Apesar de as autoridades terem anunciado o cronograma da implementação, ainda não estão disponíveis informações ou documentação oficiais sobre o tipo do modelo de facturação electrónica. A informação apresentada na conferência não é vinculativa e pode estar sujeita a alterações.
 

Faturação electrónica na Tailândia

 

Na Tailândia, o governo tem trabalhado para desenvolver um sistema robusto de facturação electrónica com uma estrutura que impulsione a facturação electrónica utilizando prestadores de serviços terceiros certificados para emissão de impostos electrónicos.
 

Usar prestadores de serviços é uma alternativa viável para as empresas pois alguns não querem investir ou desenvolver os seus próprios sistemas de impostos eletrónicos, enquanto outros não se podem dar ao luxo de criar um sistema de faturação compatível. Isso deve-se aos passos técnicos e legais complexos para manter o seu próprio sistema compatível. A Agência de Desenvolvimento de Transações Eletrónicas (ETDA) iniciou um processo de certificação para prestadores de serviços eletrônicos avaliarem se a solução do requerente é segura e conforme.
 

Mais recentemente, o Departamento de Receitas Tailandesas (TRD) e a Agência de Desenvolvimento de Transações Eletrónicas (ETDA) publicaram novos regulamentos para melhorar o sistema de faturação de impostos eletrônicos. Os regulamentos incluem aspetos como o conteúdo da fatura eletrónica e normas para formulários, métodos de entrega, armazenamento e segurança da informação para operações relacionadas com a faturação eletrónica.
 

A Tailândia também anunciou recentemente uma extensão dos incentivos fiscais para os contribuintes que utilizam o atual sistema de faturação de impostos eletrônicos para promover faturas eletrónicas no país. Estas medidas também podem sinalizar um futuro mandato obrigatório de faturação eletrónica; no entanto, ainda não há mandato ou calendário definido.
 

Faturação Eletrónica na China

 

A facturação electrónica foi gradualmente introduzida na China, começando com B2C. Em setembro de 2020, a State Taxation Administration (STA) anunciou um programa-piloto que permite que contribuintes selecionados que operam na China emitam faturas eletrónicas especiais de IVA numa base voluntária, que são geralmente utilizadas em transações B2B.
 

Em 2021, os Tax Bureaus de Xangai, Província de Guangdong e Região Autónoma da Mongólia Interior anunciaram um novo programa piloto que abrange contribuintes selecionados, que introduziram um novo e-fatura totalmente digitalizado.
Em março de 2023, o programa-piloto das faturas eletrónicas totalmente digitalizadas foi expandido para abranger os contribuintes recém registados na Mongólia Interior, contribuintes selecionados nas províncias Henan, Jilin, Fujian e Yunnan e as cidades de Shenzen e Ningbo. Estes exames fiscais emitem um e-fatura eletrónica totalmente digitalizada através da plataforma de serviço de faturas eletrónicas sem utilizar equipamento especial de controlo fiscal seguindo verificações de autenticação de nome real.
 

Faturação electrónica em Singapura

 

Em 2018, a Agência do Governo de Singapura, Infocomm Media Development Authority (IMDA), aderiu à associação internacional sem fins lucrativos OpenPePPol, responsável pelo desenvolvimento e manutenção das especificações da PEPPOL. Singapura tornou-se a primeira Autoridade Nacional fora da Europa a aderir como PEPPOL Authority.
 

Em 2019, a IMDA lançou oficialmente a rede nacional de faturação eletrónica (InvoiceNow) com intenções de alargar a International Peppol E-Delivery Network, permitindo que as empresas transacionassem internacionalmente com outras empresas através desta rede. A IMDA tem incentivado as empresas a usar a InvoiceNow nas transações B2B e B2G como uma solução eficiente e moderna para faturação e entrega de documentos.
 

Além disso, foi recentemente anunciado pelo ministro sénior de Estado que a ‘InvoiceNow’ vai tornar-se o canal de envio e-fatura padrão para todos os vendedores do governo dentro de alguns anos. Embora a emissão de faturas eletrónicas não seja obrigatória para transações B2B ou B2G, parece que o programa InvoiceNow e o PEPPOL serão utilizados para um mandato B2G de faturação eletrónica num futuro próximo.
 

Faturação Eletrónica no Japão

 

O Japão adotou um sistema voluntário de faturação eletrónica. A Especificação Padrão para Faturas Digitais (JP PINT) baseada na norma global PEPPOL foi publicada para os contribuintes japoneses que desejam emitir e trocar faturas eletrónicas pela rede PEPPOL. A Associação de Promoção E-Fatura (EIPA) está a incentivar os contribuintes a utilizarem a norma PEPPOL.
 

Em consonância com os esforços do país para melhorar o controlo fiscal, o Japão está a introduzir o chamado Sistema de Faturas Qualificadas (QIS), que entra em vigor em outubro de 2023. Neste sistema, o valor total do imposto de consumo correspondente a cada taxa deve ser incluído na fatura juntamente com o número de registo do emitente qualificado. Os contribuintes devem registar-se para emitir faturas qualificadas. O QIS não obriga os contribuintes a emitirem faturas eletronicamente.
 

Faturação Eletrónica nas Filipinas

 

Em 2019, as Filipinas introduziram a Lei da Inovação como parte da sua Estratégia de Transformação Digital (PDTS). Em consonância com esta estratégia e com o disposto na Lei da Reforma Tributária para a Aceleração e a Inclusão (TRAIN) , o Sistema de Faturação/Recebimento Eletrónico (EIS) foi lançado a 1 de julho de 2022 para 100 contribuintes piloto.
 

A Lei dos comboios estabeleceu 1 de janeiro de 2023 como a data-alvo em que todos os contribuintes abrangidos se tornariam obrigados a cumprir a obrigação de faturação eletrónica e a CTC das Filipinas. No entanto, as autoridades ainda não publicaram um calendário oficial para a expansão do sistema. Atualmente, os 100 piloto e outros grandes contribuintes notificados individualmente pelo BIR são os únicos obrigados a cumprir, enquanto o calendário de expansão ainda é aguardado.
 

O que esperar na região

 

Os ventos de mudança na região sopram fortemente a favor da digitalização dos sistemas de faturação. Vemos influências de diferentes partes do mundo, da América Latina com os seus modelos de desalfandegamento descentralizado para a Europa com o sistema de depuração centralizado ao estilo italiano, bem como com as estruturas de faturação eletrónica inspiradas na PEPPOL.
 

Estes são apenas alguns exemplos de países da região que adotaram um sistema CTC. As empresas devem preparar-se para adotar os novos requisitos de conformidade do e-fatura à moda em todo o mundo, e em particular, em toda a Ásia.

 

Observações e Previsões: O Futuro da Fiscalidade e da Conformidade

Estamos no meio de uma mudança na forma como os negócios globais são conduzidos e as receitas fiscais são reconhecidas e cobradas pelos governos. A mensagem para as empresas de todo o mundo é que os governos globais já não confiarão na forma antiquada como arquivam as declarações e lhes fornecem dados do período – que está a ser substituída por governos que exigem dados em tempo real capturados pelos sistemas e directrizes aprovados pelos próprios.

Faturação Eletrónica na Grécia

A fatura eletrónica é obrigatória para fornecimentos B2G e opcional para fornecimentos B2B e B2C. Os requisitos de faturação eletrónica nas transações B2G, B2B e B2C variam, tornando uma tarefa exigente manter-se em conformidade com os regulamentos de faturação eletrónica do país. Esta página detalha o status quo atual e será atualizada à medida que as alterações forem aplicadas – certifique-se de adicioná-la aos favoritos e revisitá-la para permanecer em conformidade.

Roménia: Projeto de legislação propõe nova obrigatoriedade da faturação eletrónica B2C

Roménia: Projeto de legislação propõe nova obrigatoriedade da faturação eletrónica B2C   A 18 de junho, o Ministério das Finanças romeno publicou um projeto de despacho destinado a expandir o âmbito da obrigatoriedade da faturação eletrónica no país para incluir transações B2C.   No contexto da faturação eletrónica, as transações B2C são definidas como ocorrendo […]

Mais posts

Links Rápidos