Faturação Eletrónica

Outras Soluções

Opinião: Vou implementar faturação eletrónica, que abordagem devo seguir?

Subscrever
Partilhar

O sucesso do projeto de faturação eletrónica depende muito da sua implementação e das ações coordenadas com o operador tecnológico de fatura eletrónica escolhido, avisa Nuno Gonçalves.

 

Artigo originalmente publicado no SAPO Tek, a 3 de maio de 2022.

 

Por Nuno Gonçalves (*)

 

A evolução tecnológica permite-nos atualmente grandes ganhos de eficiência no tratamento e processamento das faturas, nomeadamente através da realidade da fatura eletrónica.

 

Se as vantagens para emissores e clientes são já sobejamente conhecidas, a realidade das empresas que usam já esta tecnologia fica muitas vezes aquém do potencial esperado seja no contexto da emissão, seja na receção de faturas.

 

O sucesso do projeto de faturação eletrónica depende muito da sua implementação e das ações coordenadas com o operador tecnológico de fatura eletrónica escolhido.

 

O operador de fatura eletrónica tem aqui um papel importante a desempenhar.

 

Se por um lado a comunicação com a comunidade de clientes/fornecedores é muito importante, não menos, é a capacidade em transferir as faturas entre parceiros sem que tal envolva desenvolvimento adicional para as partes. Este esforço de adaptação do cliente ou do fornecedor é o principal travão ao sucesso de um projeto de fatura eletrónica.

 

E como podemos melhorar este aspeto? Alguns pontos a ter em conta:

 

1 – O que importa é o conteúdo!

A capacidade de transformar o formato do emissor no formato do cliente de forma automática torna-se um fator chave para a rápida adesão dos parceiros à fatura eletrónica, pois, num modelo em que se garante a independência tecnológica entre as partes, o esforço de cada empresa em se adaptar a cada parceiro é nulo ou substancialmente reduzido.

 

2 – EDI – Modelo tradicional.

No modelo tradicional do chamado EDI (troca eletrónica de documentos), uma das partes teria que se preparar para receber as faturas de acordo com a especificação do emissor ou, o emissor teria que se adaptar ao formato do seu cliente. Se uma empresa tiver 100 parceiros que tenham que implementar alterações no seu projeto de fatura eletrónica, o tempo e o esforço replicado por estas torna-se um grande obstáculo.

 

3 – Invoice Networking – O poder da transformação de dados.

Ora, a evolução tecnológica, permite-nos atualmente focar no conteúdo da informação contida nas faturas para de forma automática convertermos o formato do emissor no formato do cliente.

Como: trabalhando a informação da fatura em todos os seus aspetos: dados de cabeçalho, linhas, resumo, leitura de informação específica por segmento de mercado, etc. Uma vez validada e identificada toda a informação, procede-se à transformação para o formato do cliente, permitindo 100% de automação no tratamento da fatura.

Sem mais complicações e sem custos adicionais para as partes!

E com que garantias? Sempre recorrendo a um controlo de qualidade das faturas que seja o garante que só são integrados os documentos que cumpram 100% com os requisitos legais e de conformidade de informação.

 

4 – E como o projeto beneficia desta abordagem?

Muito simples. Ao ser terminada a implementação do projeto, a empresa sabe que tem imediatamente acesso a um conjunto de clientes ou fornecedores que ficam automaticamente habilitados ao envio ou receção de faturas, sem esforço adicional.

 

5 – Objetivo: Massificação.

Nesta abordagem tecnológica, uma estratégia de comunicação com os clientes ou fornecedores para adesão à fatura eletrónica deve ser eficaz na mensagem, sempre numa lógica de sinergia com o parceiro, garantido-se que:

– no caso dos emissores, se já emitem faturas para outros clientes (ex. administração pública), o mesmo deverá estar habilitado a enviar faturas legais e compatíveis com o nosso projeto de FE.

– no caso dos clientes, se optaram por uma tecnologia de invoice networking, então o passo seguinte é ativar o envio das faturas e pronto.

 

Para concluir, a adesão de clientes e fornecedores ao projeto de fatura eletrónica será incomparavelmente mais fácil se for seguida uma lógica de implementação moderna e que torna independente o formato e a tecnologia do emissor e do recetor da fatura.

 

(*) Head of Community Management da Saphety

 

Artigo originalmente publicado no SAPO Tek, a 3 de maio de 2022.

 

 

 

Outros posts

Subscrever

Webinar Series: Vantagens da Faturação Eletrónica para os fornecedores do Setor Público

Webinar Series: Faturação Eletrónica   Vantagens da Faturação Eletrónica para os fornecedores do Setor Público A Sovos Saphety organiza uma série de Webinars mensais dedicados à Faturação Eletrónica, abordando o seu enquadramento legal, importância e vantagens para organizações do sector público e privado. Nesta edição, Pedro Sepúlveda e Diogo Cardoso da Sovos Saphety vão discutir as vantagens da Faturação Eletrónica […]

6 coisas a considerar quando existem alterações nas Taxas de IVA

6 coisas a considerar quando existem alterações nas Taxas de IVA   Nos últimos meses, temos ajudado clientes com alterações nas taxas de IVA dentro e fora da UE. A razão para essas mudanças nas taxas de IVA varia, sendo um objectivo de reduzir a inflação, ação para ajudar famílias com o custo de vida, […]

Brasil introduz Norma Nacional para o serviço de Faturação Eletrónica

Brasil introduz Norma Nacional para o serviço de Faturação Eletrónica   O Brasil é conhecido pelo seu sistema de faturação eletrónica e de controlos de transações contínuas (CTC) altamente complexo. Além das mudanças legislativas diárias nos seus 26 estados e no Distrito Federal, o país possui mais de 5.000 municípios com diferentes padrões de faturação […]

Mais posts
Loading

    Links Rápidos